Planos A, B e C (do lado de lá) 4/04/2019

Dia de preparar kits para a entrega às famílias; dia de ir buscar o coordenador nacional de projetos ao aeroporto; dia comparecer na reunião de coordenação com o governador; dia de receber o comunicado de cancelamento da mesma reunião; dia de verificar o estado do barco que estamos a considerar comprar para assegurar a travessia do rio até aos centros de acomodação isolados; dia de aceder aos mapas atualizados das zonas alagadas; dia de marcar os rastreios nutricionais com as equipas de saúde no centro de acomodação; dia de encomendar balanças pediátricas, balanças de chão, balanças de cesto, estadiómetros, fitas para medir o perímetro braquial…

Todos os dias são dias de nova aferição do cenário; dias em que a realidade se transforma tão depressa que aquilo que é válido hoje, é válido apenas para hoje. Por vezes nem tanto. Amanhã há mais uma informação, mais um risco, mais um doador, e o quadro da articulação juntamente com a lógica da complementaridade torna a realidade extremamente volátil e os planos de ação, profundamente flexíveis.

O que já é óbvio ao fim de poucos dias de trabalho, é que a dificuldade em aceder às pessoas diminui em muito o potencial da ajuda a ser dada. Uma das nossos primeiras preocupações é avaliar as possibilidades de ampliar os nossos meios de deslocação: por terra, por água. Os centros de saúde chegam a menos pessoas do que seria desejável uma vez que a sua existência não diminui as distâncias que é necessário percorrer para chegar até eles. Há registo de perto de 30 crianças identificadas com desnutrição aguda moderada (há muito pouco registos ao nível do estado nutricional da população). Não regressam com a regularidade necessária para acederem ao tratamento de que precisam. É essencial trabalhar com os agentes polivalentes e é essencial conseguir articular no terreno equipas móveis, de forma a garantir que quem precisa, obtém o tratamento necessário!

Aquilo que é necessário hoje, estamos a empreender hoje. Amanhã estaremos prontos para continuar…#Idai

* Testemunho de Joana Clemente, coordenadora geral e executiva da Helpo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s